(11) 2937-9180(11) 3436-1049   (11) 98117-8089

As pragas Urbanas

Entende-se por Pragas Urbanas os insetos e pequenos animais que se proliferam desordenadamente no ambiente das cidades e que oferecem risco à saúde humana.

Estes se encaixam na lista de animais sinantrópicos, expressão utilizada para designar animais que habitam locais próximos ao homem e se adaptam a viver junto deste.

As pragas urbanas têm por características biológicas o alto índice de resistência e a adaptação sobre os mais diversos meios. Por isso, o ambiente urbano torna-se o principal habitat para essas espécies, pois oferece condições como umidade, alimentação e muitos ambientes baldios.

Com isso, o seu extermínio é bastante dificultado. A maioria dessas espécies costuma se reproduzir durante o inverno e se prolifera durante o verão.

pragas urbanas

Conheça sobre algumas Pragas urbanas

  • Aranha
  • Barata
  • Broca
  • Carrapato
  • Caruncho
  • Cupim
  • Escorpião
  • Formiga
  • Lacraia
  • Morcego
  • Mosca
  • Mosquito
  • Percevejo
  • Pulgas
  • Rato
  • Traça

Aranha

Aranha

Três espécies de aranhas são motivos de preocupação para a saúde pública no Brasil.
Aranha Armadeira (Phoneutria spp)

A aranha Armadeira é uma espécie bastante agressiva. São aranhas que medem cerca de 3,5 cm de comprimento, com pernas que podem chegar a 5 cm. Sua atividade é maior ao entardecer e à noite. Esta espécie não tece teia e é comumente encontrada em árvores, principalmente bananeiras e folhagens. É comum ser encontrada no interior de residências. A picada resulta em dor violenta no local, irradiando-se pela região atingida. A vítima apresenta tonturas, queda de pressão, vômito, suor intenso e possíveis espasmos. Caso ocorra picada por esta espécie de aranha, a vítima deve procurar um hospital para aplicação de soro anti aracnídeo e aplicação de anestésico ao redor da picada.

Viúva-Negra (Latrodectus spp)

É uma das aranhas mais comentadas em todo o mundo. No Brasil existem somente 3 espécies de Latrodectus e os casos de acidente são raros. São aranhas muito pequenas. A fêmea atinge de 8 a 12 mm de comprimento. São totalmente negras com uma mancha vermelha em forma de ampulheta no abdômen. São sedentárias, constroem teias irregulares entrelaçadas com folhas secas. Eventualmente, podem construir teias próximas umas das outras, no entanto, cada uma possui sua própria teia.

A picada provoca dor muito aguda que se irradia por todo o membro ou local atingido. A vítima fica irritada, apresenta tremores, contrações, rigidez abdominal, delírio, alucinações, entre outros sintomas. Já foram registrados casos fatais em crianças. A pessoa picada deve ser levada imediatamente ao hospital para receber a soroterapia. Se possível, capturar a aranha para identificação.

Aranha Marrom (Loxosceles spp)

A aranha marrom é uma espécie pouco agressiva e que possui hábitos noturnos. Seu tamanho é pequeno, cerca de 4 cm de comprimento e, geralmente, não é percebida. No Brasil são encontradas dentro de residências de várias cidades.

A aranha marrom constrói uma teia irregular e se esconde sob telhas, pilhas de tijolos e quadros. Outros esconderijos utilizados são sapatos e as roupas penduradas atrás de portas. O acidente ocorre quando a pessoa pressiona a aranha.

No ato da picada quase não se sente dor, no entanto, entre 12 e 24 horas, o local atingido apresenta inchaço e dor, semelhante à dor de queimadura. A vítima passa a sentir mal estar e náuseas. Pode ocorrer febre e o local da picada apresentar necrose. Acidentes com crianças podem ser fatais. Nos casos graves a urina fica com cor de Coca-Cola.

Barata

Barata

Habitualmente associadas a más condições de higiene, estes insetos podem estar presentes nos mais diversos ambientes, infestando os mais diferentes pontos. A maioria vive em regiões tropicais, porém podem ser encontrados nos mais diversos lugares do mundo (Polo Norte e Polo Sul), devido a sua grande capacidade de adaptação, prova deste fato é que alguns fósseis mostram que as baratas existem a mais de 300 milhões de anos. São citadas mais de 3500 espécies de baratas, sendo que somente 1% do total de espécies são descritas como praga urbana.

Além do aspecto repugnante do seu corpo, caracterizam-se como importantes disseminadoras de organismos patogênicos, como: bactérias (salmonelas), vírus e protozoários, responsáveis por doenças como cólera, difteria, diarreia, toxoplasmose, herpes, gastrenterocolites, lepra, pneumonia, intoxicação alimentar, infecções respiratórias entre outras.

Dentro das espécies comumente encontradas em ambientes urbanos, pode-se destacar:
Blatella germânica

Vulgarmente chamada de Francesinhas, Paulistinhas, Alemãzinhas. Prefere cozinhas, depósitos de alimentos, embalagens, fornos, estufas, motores de geladeiras e freezers, conduítes, bancadas, frestas em alvenaria e armários embutidos.

Periplaneta americana

mais conhecida com Barata de esgoto, Barata americana, Barata voadora, Barata cascuda. Prefere abrigos como caixas de esgoto e gordura, galerias subterrâneas, áreas de serviço, porões, sótãos, forros e áreas externas com acúmulo de material orgânico.

Biologia

A vida urbana moderna gera uma série de resíduos (lixo), substrato este para a proliferação das baratas, graças ao seu hábito onívoro (come todo tipo de alimento). Aliado ao seu alto potencial reprodutivo, ela produz altas infestações em um período curto de tempo e apesar de viverem aglomeradas, as baratas não são consideradas Insetos sociais.

Dentro das características da praga, pode-se relatar a capacidade de sobrevivência sem se alimentar durante até um mês, sem ingerir água durante até uma semana, ficar até 40 minutos submersos e se deslocar por fendas muito pequenas de até 1,6 mm.

A ooteca é uma estrutura que tem a função de proteger os ovos das variações do ambiente, inclusive dos inseticidas, garantindo assim, a reinfestação e perpetuação da espécie.

Possuem aparelho bucal mastigador com fortes mandíbulas e deslocam-se habitualmente durante a noite, preferindo locais com temperatura entre 20 e 34 Celsius. Geralmente cada ooteca contém até 36 ovos, no caso da Blatella germânica. A expectativa de vida é de 3 a 4 anos no caso da Periplaneta americana.

formiga

Formiga

Existem 2.000 espécies de formigas no Brasil, no entanto cerca de 30 são consideradas pragas. Aquelas formiguinhas que observamos na cozinha e nos quintais são aproximadamente 20% a 30% das formigas do formigueiro; o restante não sai do ninho e por isso nunca é visto por nós. Causam muitos problemas quando invadem casas ou apartamentos, atacando alimentos, provocando danos às estruturas, espalhando micro-organismos transmissores de doenças, infestando e contaminando residências, hospitais, clínicas, laboratórios, hotéis, restaurantes etc.

As formigas remetem à organização e trabalho em equipe. O formigueiro é composto por uma ou mais rainhas, operárias e reprodutores. A única forma de acabar com um formigueiro é eliminando a rainha. Sua alimentação é variada, podendo ser baseada em carboidratos, açúcares e proteínas que podem ser encontrados em diversos ambientes.

Se reproduzem e se espalham com alta eficiência, deixando um número grande de descendentes, o que muitas vezes justifica grandes infestações, contribuindo de forma intensa para processos de disseminação de patógenos e contaminação de ambientes, utensílios e alimentos.

Eliminar uma rainha não é uma tarefa fácil e quando se mata formigas sem um planejamento adequado, a rainha passa a colocar mais ovos aumentando o tamanho da colônia, criando novas formigas e causando ainda mais problemas.

No brasil as principais espécies de formigas urbanas são:
Camponotus spp (formiga carpinteira) Tapinoma melanocephalum (forminga fantasma)
 Solenopsis sp (formiga lava-pés) Atta sp. (forminga saúva)
Paratrechina longicornis (formiga louca) Monomorium pharaonis (forminga do faraó)

percevejo

Percevejo de cama

Os percevejos de cama são insetos picadores e sugadores de sangue pertencentes a ordem Hemíptera e à família Cimicidae. As duas espécies que mais causam preocupação ao ser humano são a Cimex lectularius e a Cimex hemipterus.

Apesar de serem considerados um problema de saúde pública, não há registro de percevejos de cama transmitindo doenças ao ser humano, mas por serem extremamente eficientes em encontrar e se alimentar do sangue dos hospedeiros, a qualidade do sono da pessoa que dorme em um local infestado é ruim, o que pode causar letargia, promovendo falta de atenção no trabalho e nas tarefas do dia-a-dia. Além disso, sua presença causa estresse psicológico, interferindo na qualidade de vida do cidadão.

Eles atacam as áreas do corpo que geralmente ficam expostas durante o sono: rosto, pescoço, ombros, braços e pernas. São insetos sem asas, de corpo achatado, coloração marrom avermelhada, de 4 a 7 mm de comprimento, possui comportamento noturno, são encontrados principalmente em dormitórios e salas, mas também podem ser vistos em outros ambientes como áreas de serviço e cozinha.

Estes insetos podem sobreviver longos períodos sem se alimentarem. Depositam de 200 a 250 ovos ao longo de 2 meses, podem ser encontrados em residências, hotéis, motéis, alojamentos e penitenciárias, além de meios de transportes.

LOCAIS ONDE COMUMENTE OS PERCEVEJOS DE CAMA SÃO ENCONTRADOS

  • - Frestas e fendas nas paredes.
  • - Nos estrados e outras estruturas das camas.
  • - Em guarda-roupas, armários e outros mobiliários.
  • - Em costuras, forros e dobras de colchões e sofás.
  • - Atrás de quadros.
  • - Em guarnições de portas.
  • - Atrás de rodapés.
  • - Em conduítes e interruptores.
  • - Em costuras de malas/bolsas.

Pela dificuldade no diagnóstico e localização da fonte de infestação por estes insetos, chame uma Empresa Especializada a qualquer sinal de presença desta praga.

Carrapato

Carrapato

Informações sobre a espécie

Carrapatos são animais que se alimentam de sangue (hematófagos) pertencente ao grupo dos Aracnídeos e à ordem Acari. São de pequeno tamanho, medindo de poucos milímetros a 2 cm, dependendo da espécie e da fase de desenvolvimento que se encontram. Podem ser encontrados em diversas áreas com vegetação presente ou se abrigando em estruturas edificadas.

O sangue sugado dos hospedeiros, pelos carrapatos, tem a função de nutrir as fêmeas já fecundadas também contribui para a maturação dos ovos.

Cada fêmea pode dar origem a mais de 4.000 ovos, que serão depositados no solo e darão origem a uma nova geração, desta forma dando continuidade a um processo de infestação do ambiente.

Os carrapatos, por meio de suas picadas, são responsáveis pela transmissão de diversos agentes patogênicos que poderão provocar doenças tanto em animais quanto em seres humanos.

No homem, doenças como "Doença de Lyme" e "Febre Maculosa" podem resultar em sérias consequências, debilitando o doente e, em situações em que o diagnóstico é tardio, podem inclusive levar à morte.

Além das doenças associadas à transmissão de microrganismos pelos carrapatos, as suas picadas podem provocar processos alérgicos devido a substâncias presentes em sua saliva, podendo também, causar anemia em seus hospedeiros em função do grande consumo de sangue de forma intensa e por longos períodos.

As espécies que têm uma interação com o ser humano em áreas urbanas e rurais são:
  • Rhipicephalus sanguíneos - Carrapato do cão.
  • Amblyomma cajennense s.s - Carrapato estrela
  • Amblyomma aureolatum - Carrapato amarelo do cão.
Medidas para controlde de carrapatos

O controle de carrapatos não é tarefa muito fácil para uma pessoa sem o devido conhecimento. Uma vez detectada a presença desta praga em seu animal de estimação ou no ambiente de sua residência, será necessário tomar medidas rápidas, pois como já visto, a proliferação deste animal é bastante volumosa. Assim, ambos os tratamentos necessitam ser feitos em conjunto (tanto em seu animal quanto em seu ambiente).

No caso do animal, recomendamos buscar seu veterinário de confiança para que se proceda ao tratamento mais adequado. No que diz respeito à residência, não recomendamos o “auto-serviço” para o controle de carrapatos, pois poderá haver problemas de intoxicação dos moradores e do seu animal (que já está mais debilitado), além de possíveis manchas em seu piso. Portanto, para um controle seguro e adequado em seu ambiente residencial, recomenda-se a contratação de uma Empresa Especializada.

Rato

Ratos e camundongos

Os ratos são mamíferos da Ordem Rodentia, e têm esse nome em função do hábito de roer, pois precisam desgastar os dentes incisivos, que crescem continuamente. Convivem com os seres humanos desde os tempos mais remotos. São mais de 2.000 espécies espalhadas pelo mundo.

Eles possuem uma capacidade impressionante de adaptação aos ambientes. Os sentidos da audição, olfato, paladar e tato são muito desenvolvidos. Não enxergam bem, de modo que utilizam pouco a visão em seus deslocamentos.

Por causa do hábito de roer, podem causar prejuízos em instalações elétricas, ocorrendo em alguns casos curtos-circuitos que por sua vez, podem dar início a incêndios.

Ratos são responsáveis pela transmissão de diversas enfermidades. Isso acontece por causa de pulgas ou parasitas que eles carregam, capazes de transmitir a leptospirose, tifo, peste bubônica, febre hemorrágica, salmonelose, nefrite epidêmica, sarnas e micoses, dentre outras. Também podem transmitir doenças quando em contato com alimentos, pois com frequência demarcam um território deixando urina ou fezes nas proximidades.

Roedores possuem hábito de explorar os ambientes ao redor, porém, em condições normais, não percorrem grandes distâncias. No ambiente urbano, esses movimentos variam entre 30 e 50 m para ratos e ratazanas e 3 m para camundongos. Seu horário de maior atividade é durante a noite e dormem durante todo o dia. A atividade máxima da colônia se dá cerca de três horas após o pôr do sol.

No Brasil, três espécies domiciliares apresentam grande importância:

Rattus novergicus (Ratazana ou rato de esgoto)

Com pelagem de cor acinzentada, acastanhada e áspera, apresenta coloração mais clara na região da barriga, podendo chegar à 25 cm de comprimento corporal, com a cauda do mesmo tamanho do corpo. O macho pode pesar até 500 gramas. Possuem orelhas pequenas e arredondadas; e olhos pequenos em proporção à cabeça.

Dotados de membranas entre os dedos, são excelentes nadadores. São escavadores e constroem tocas no solo, que podem ser observadas pelo rastro de gordura deixado na trilha.

De hábito noturno pode se deslocar entre 30 e 45 m da toca, em busca de alimentos. Conhecido por habitar e frequentar lixeiras e lixões, mesmo nestes locais, são extremamente seletivos, buscando alimentos que não estejam estragados, tendo como preferência alimentar, grãos e sementes.

Podem viver em média 2 anos. As fêmeas deixam uma prole de até 128 filhotes no período de um ano. A população das ratazanas está ligada à oferta de alimentos, formando enormes colônias. Em condições de falta de alimento, podem praticar o canibalismo.

São comuns os relatos de controle de ratazanas realizados inadequadamente, onde posteriormente se verifica o aumento populacional das mesmas. Como são animais sociais, a chance de uma ratazana estar sozinha é muito pequena.

Rattus rattus (Rato de telhado ou rato preto)

Denominado também de rato preto por sua pelagem escura e quase preta, possuem calos estriados nas patas, são excelentes escaladores e equilibristas graças a cauda maior do que o corpo. É muito comum observar-se exemplares desta espécie caminhando por fios elétricos durante o período noturno.

O macho chega a pesar até 250 gramas, podendo atingir 18 cm de comprimento corporal. Suas orelhas grandes e salientes em relação à cabeça, o diferenciam da ratazana. Pela preferência em construir ninhos em locais altos, também são conhecidos por ratos de telhado ou de forro. Nos locais onde circulam, comumente observa-se manchas de gordura impregnadas e o odor de urina.

Sua alimentação é seletiva e balanceada, com preferência por frutos e verduras frescas, grãos e sementes. São neofóbios, isto é, têm muito medo de objetos novos e de alterações no seu habitat, evitando se aproximar de qualquer item novo.

Por serem muito cuidadosos e desconfiados, são comuns os casos de fracasso no controle desta praga.

Mus musculos (Camundongo)

Personagens ilustres como o Mickey Mouse e Jerry, foram criados baseados nos camundongos. Dotados de pelagem macia e cor clara podem chegar à 8 cm de comprimento corporal, com a cauda sem pelos, proporcional ao corpo. Dotados de orelhas grandes e arredondadas e com olhos grandes em relação à cabeça, pesam pouco mais de 20 gramas. São muito curiosos, investigando rapidamente todo objeto e alteração do ambiente, preferindo sempre construir suas tocas e ninhos dentro de construções, casas e móveis; deslocando poucos metros em busca de comida e água.

Havendo oferta de água e alimento, com ciclo médio de vida de 1 ano, podem gerar mais de 190 filhotes, em grandes colônias, porém costumam viver em colônias pequenas. Em sua alimentação, são seletivos, sempre buscando alimentos em bom estado e limpos, tendo predileção por sementes e grãos. Camundongos têm preferência por viver em ambientes internos próximos aos seres humanos.

mosquito

mosquitos

Popularmente conhecidos como mosquitos, pernilongos ou muriçocas, estes insetos compõem um grupo com cerca de 3.500 espécies, são adaptados aos mais diversos ambientes, desde altitudes acima de 3.000 metros, em florestas, até áreas urbanizadas. Alguns são transmissores de doenças ao homem e outros vertebrados, sendo atraídos por calor, por CO2 e ácido láctico que são liberados nos ambientes.

O incômodo e o desconforto não são os únicos inconvenientes causados pela presença e a atividade dos mosquitos. O papel destes insetos na transmissão de inúmeras doenças como filariose, malária, dengue, zika, chikungunya, febre amarela, leishmaniose e as encefalites é uma preocupação muito mais séria. A capacidade de reprodução e a facilidade de dispersão dos mosquitos são características essenciais e fundamentais para a ocorrência de epidemias destas doenças.

Mosquitos adultos podem viver por mais de dois meses e as principais espécies de importância sanitária são os anofelinos (transmissores da malária humana) e os culicídeos (maior subfamília com 34 gêneros e cerca de 3.500 espécies).

As espécies Aedes aegypti, Aedes albopictus e Aedes scapularis são responsáveis pela transmissão da dengue, febre amarela urbana e encefalites. O Aedes aegypti atualmente é responsável pela transmissão da febre chikungunya e o zika.

PERNILONGO COMUM - CULEX SP

Estes insetos medem de 3 a 4 mm de comprimento, apresentam cor marrom sem marcas distintas nas pernas, são mais ativos no fim da tarde e durante a noite e são atraídos pela luz artificial. Fazem um som característico de zumbido quando voam e deixam características marcantes nos locais onde picam: pele vermelha, coceira e calombos.

Dentre as espécies do gênero Culex, a espécie Culex quinquefasciatus é a mais importante no meio urbano, por ser o principal transmissor da filariose bancroftiana (elefantíase) e de vírus causadores de encefalites. É mais frequente nos meses quentes e chuvosos, mas pode ser encontrado durante todo o ano.

Para a postura de seus ovos, a fêmea busca locais ricos em matéria orgânica tais como córregos e rios poluídos com esgoto. Deposita seus ovos em conjunto, aspecto que lembra uma “jangada” que flutua na superfície da água.

Os mosquitos machos alimentam-se de seivas, flores e frutas, bem como as fêmeas que não foram fecundadas, no entanto, elas necessitam de sangue após a fecundação para o desenvolvimento dos ovos.

AEDES AEGYPTI

Maior do que os mosquitos comuns, é preto com listras brancas, apresentam um desenho branco em forma de lira no dorso do tórax. Esse desenho só é visto sob lupa, mas é um importante indicador para diferenciar o Aedes aegypti do Aedes albopictus, que apresenta a mesma coloração. Suas asas são translúcidas e o ruído que produzem é praticamente inaudível ao ser humano. É originário do Egito e sua dispersão pelo mundo ocorreu a partir da África.

O Aedes aegypti ficou famoso por ser considerado o vetor da dengue e febre amarela urbana e as mais recentes: febre chikungunya e o zika.

Reproduzem-se em criadouros naturais (buracos em arvores, bromélias, bambu) e artificiais (reservatórios de água, vasos, utensílios etc.).

Nestes locais, depositam os ovos fora da água, na superfície dos recipientes. Para remover os ovos é necessário esfregar bem. Se não forem removidos em contato com a água, os ovos se abrem em pouco menos de 30 minutos e, no máximo em 9 dias, a larva dá origem a um novo mosquito.

Os mosquitos machos também se alimentam de seivas, flores e frutas; já as fêmeas, como as do Culex, se alimentam de sangue. As fêmeas de Aedes preferem o sangue humano ao de qualquer outro animal vertebrado. Atacam de manhã ou ao entardecer e sua saliva possui uma substância anestésica, que torna quase indolor a picada.

Se houver a presença destes insetos em seu imóvel, podem ser usados aerossóis e repelentes registrados pelo Ministério da Saúde, juntamente com barreiras físicas como telas nas janelas e mosquiteiros. Entretanto, se o problema persistir, consulte uma empresa especializada para o controle.

Broca

Broca

Broca de madeira:

Que pózinho é esse?

Quando alguém faz esta pergunta, prepare-se: pode ser cupim ou pode ser broca.

Olhe como identificar um ou outro:

  • Tem um pozinho no meu armário.
  • Encontrei um montinho de grânulos no meu guarda-roupa.

Quem já não observou estas ocorrências dentro de casa, ou embaixo da porta, dentro de um armário ou no telhado? Este "pozinho" na verdade, pode ser muito diferente e servir para identificar o inseto que está atacando o seu patrimônio. Fique atento para as principais diferenças entre os "pozinhos" para que possa identificar a melhor maneira de controlar estes insetos.

Qual inseto está atacando?

Broca de Madeira

Se você encontrar um pó fino semelhante a talco, ou uma serragem pequena trata-se de um ataque de broca de madeira. As brocas de madeira são besouros cujos ovos são depositados em peças e estruturas de madeira, bambu, cana da índia, etc. Ao eclodirem as larvas, estas iniciam sua alimentação realizando galerias na peça de madeira infestada e expelindo um pó fino originado desta atividade. Quando cessa o aparecimento do pó, a larva completou seu desenvolvimento e se prepara para pupar. Após algumas semanas ou meses (dependendo da espécie), emerge o adulto e o ciclo da vida continua.

Larva de uma broca de madeira (besouro) e o pó decorrente de sua atividade.
Cupim de madeira seca

A presença de grânulos secos e duros, indica atividade de cupins de madeira seca. Estes grânulos são fezes, expelidas das galerias realizadas na estrutura ou peça de madeira. A coloração pode variar conforme a cor da madeira. As fezes escuras (quase pretas) sugerem uma atividade ocorrida há alguns anos e que revoadas de cupins alados (reprodutores) já devem ter ocorrido. Nesta fase não encontramos mais insetos, somente os danos ocasionados.

Operário e grânulos (fezes) de cupim de madeira seca

Lacraia

Lacraia

As lacraias possuem o corpo segmentado com um par de pernas por segmento e alimentam-se de pequenos artrópodes.

As lacrais possuem veneno que utilizam para paralisar a presa (geralmente pequenos insetos). Alguns gêneros de lacraias costumam ocasionar acidentes com maior frequência no homem. São as lacrais dos gêneros Cryptops, Otostigmus e Scolopendra. O indivíduo acidentado sente dor localizada intensa e a evolução da picada depende da sensibilidade da vítima ao seu veneno.

Em áreas urbanas, as lacraias são encontradas normalmente em jardins, sob matéria orgânica acumulada (folhas, cascas de árvores), sempre em locais úmidos. Ocasionalmente podem ser encontradas no interior das residências.

Medidas Preventivas

Algumas medidas preventivas devem ser tomadas para evitar acidentes com lacraias, dentre elas: a utilização de luvas de raspas de couro ao trabalhar no jardim; a colocação de ralos protetores localizados no chão ou em tanques; a manutenção do terreno sempre limpo e roçado; o preenchimento de frestas em muros e paredes; e também, o exame atento de roupas e toalhas antes de serem manuseadas.

Morcego

Morcego

Os morcegos possuem ampla distribuição mundial com cerca de 1.000 espécies conhecidas, sendo 70%, insetívoras (que se alimentam de insetos). Na verdade os morcegos são muito eficientes no controle de insetos, podendo consumir até 600 mosquitos por hora ou 3.000 em uma noite. A grande maioria dos morcegos são benéficos. Nas áreas urbana e rural, apenas alguns são de importância à Saúde Pública. No Brasil existem cerca de 140 espécies de morcegos.

Dentre os mamíferos, eles são os únicos com capacidade de voo. Identificamos na asa aberta do morcego o braço, antebraço e a mão. O tamanho deste animal varia de 10,0 cm a 1,70 m de envergadura, conforme a espécie. A alimentação é bem diversificada, englobando frutos, sementes, néctar, folhas, insetos, escorpiões, rãs, pererecas, pequenos mamíferos e sangue.

Muitas espécies possuem hábito noturno saindo de seus esconderijos ao entardecer e início da noite. Algumas espécies localizam o alimento pelo olfato, e até pela visão, que ao contrário do que muitos imaginam, é funcional. São extremamente ágeis em seus voos devido ao sistema de eco localização, também chamado de sonar dos morcegos. Algumas espécies utilizam basicamente a visão para se localizarem.

Os morcegos insetívoros possuem ampla distribuição geográfica e atuam no controle de insetos, pragas agrícolas e espécies de importância em Saúde Pública. Os morcegos frugívoros são aqueles que se alimentam de frutos e os nectarívoros de néctar. Encontrados nas regiões tropicais e subtropicais promovem a polinização e disseminação das sementes de muitas espécies vegetais.

Os morcegos carnívoros englobam um pequeno número de espécies que se alimentam basicamente de rãs, camundongos, peixes e outros animais. Os morcegos hematófagos incluem três espécies que são encontradas apenas na América Latina, sugando animais de sangue quente como aves e mamíferos.

Os morcegos são muito conhecidos como os responsáveis pela transmissão da raiva, podendo também transmitir outras enfermidades como a brucelose. Quando atacam um animal contaminado são infectados e se tornam transmissores da doença.

Cupim

Cupim de madeira seca

Os cupins normalmente atacam a madeira pelo caminho mais fácil, deteriorando em primeiro lugar, o lenho mais mole, até tornar-se escasso, passando então, a deteriorar o lenho mais duro.

Eles constroem inúmeras galerias dentro da madeira, por onde circulam livremente e produzem pequenos grânulos ovalados (fezes), que são acumulados em uma câmara (cavidade) próxima à superfície da madeira e que, de tempos em tempos, são descarregados para fora da peça atacada, como forma de limpeza das galerias.

Cupins subterrâneos

Os cupins subterrâneos são assim denominados por construírem seus ninhos no solo e em vãos estruturais, como caixões perdidos em edifícios, vácuos entre lajes, paredes duplas, ou qualquer outro espaço confinado que exista em uma estrutura.

O sinal típico de ataque dos cupins subterrâneos são os caminhos (túneis) que eles fazem sobre a alvenaria ou outro material. Feitos de terra, fezes e saliva, estes cupins constroem verdadeiros túneis que os protegem de predadores, perda de água, entre outros contratempos. Arraste a estante e verifique se na parede não existem estes túneis. Se não tiver, seu móvel está infestado por cupim de madeira seca, bem mais fácil de tratar.

Biologia

Esta praga possui sua estrutura social formada por reis, rainhas, operárias, soldados e alados, onde os indivíduos têm função de proteção e trabalho, enquanto o restante, de reprodução e perpetuação da espécie.

Uma vez por ano ocorre o voo nupcial, denominado revoada (chamados de "siriris" ou "aleluias"), que normalmente ocorre no início da primavera, período em que existe uma grande umidade no ar, sendo visível normalmente entre as 17h00 e 20h00. Após a revoada são formados novos casais reais que darão origem a novas colônias, aumentando a infestação e intensificando os prejuízos.

Organização social dos cupins


Operário

Milhares de ovos são produzidos anualmente pela rainha e são cuidados pelos operários. Dos ovos nascem as ninfas, que são alimentadas por substância regurgitada pelos operários. Outros cupins alimentam e cuidam da rainha, que pode viver de 25 a 50 anos.


Soldado

Os soldados são estéreis e cegos. Sua única função é realizar a proteção do ninho e de todos os demais membros da colônia.

Em seu estágio final, os soldados apresentam uma cabeça grande com fortes mandíbulas. São geneticamente programados para proteger a colônia contra o ataque de


Reis / Rainhas

Os reis e as rainhas são as castas sexuadas necessárias à reprodução e, consequentemente, à perpetuação da espécie. São os mais importantes membros da colônia. Suas únicas funções são o acasalamento e a postura de ovos.

Pulga

Pulga

As pulgas são pequenos insetos que pertencem a ordem Siphonaptera. São ectoparasitos de aves e mamíferos, principalmente destes últimos.

Medem geralmente menos de 5 milímetros de comprimento e suas partes bucais são adaptadas para cortar a pele e sugar o sangue do hospedeiro. Não têm asas, mas possuem pernas extremamente fortes, especialmente o par posterior, possibilitando às pulgas, moverem-se rapidamente e pularem distâncias muito maiores que o comprimento de seu corpo. Os olhos são reduzidos ou mesmo ausentes.

As pulgas não causam somente desconforto ao homem e seus animais domésticos, mas também ocasionam problemas de saúde, tais como: dermatites alérgicas, transmitem viroses, vermes e doenças causadas por bactérias (peste bubônica, tularemia e salmonelose). Apesar das picadas serem raramente sentidas, a irritação causada pelas secreções salivares pode se agravar em alguns indivíduos.

Algumas pessoas não apresentam qualquer reação ao serem picadas, porém outras sofrem uma reação severa resultante de infecções secundárias ocasionadas pelo ato de coçar a área irritada. Picadas no tornozelo e pernas podem causar dor por alguns minutos, horas ou dias, dependendo da sensibilidade do indivíduo. A reação típica da picada é a formação de uma pequena mancha dura, avermelhada com um ponto em seu centro.

As espécies mais importantes na saúde pública são: a Pulex irritans, que ataca mais o homem, podendo, no entanto, alimentar-se sobre outros hospedeiros; a Xenopsylla cheopis, denominada pulga do rato; a Ctenocephalides felis, conhecida por pulga do gato; e, Ctenocephalides canis, a pulga do cão.

Moscas

Moscas

Existem milhares de espécies de moscas, sendo a mosca doméstica a mais comum em áreas urbanas. Algumas espécies são transmissoras de patógenos e podem causar doenças quando pousam em locais contaminados e, posteriormente, em superfícies com utilização frequente.

Algumas das doenças associadas às moscas são: gastroenterites, febre tifóide, tuberculose, salmoneloses, parasitoses, miiases etc.

Apesar da grande variedade de aparência, todas as moscas têm a cabeça móvel, com um par de grandes olhos compostos que facilita sua defesa e, associado à presença, um par de asas e um par de halteres. Elas têm uma grande facilidade de manobrar durante o voo, o que as torna excelentes em desviar de nossos ataques.

Para se reproduzir, a fêmea coloca algumas centenas de ovos em carcaças de animais, fossas abertas, depósitos de lixo e outros locais ricos em substâncias orgânicas em decomposição. O tempo de vida das moscas varia de acordo com cada espécie e com as condições climáticas de temperatura e umidade relativa do ar.

A maioria destes insetos alimentam-se de produtos animais e vegetais em decomposição, tais como açúcar, frutas entre outros; mas para ser engolido, o alimento tem de estar líquido ou pastoso e assim sendo as moscas regurgitam enzimas sobre o alimento para dissolvê-lo antes de sugá-lo, provocando contaminações.

As espécies urbanas de maior importância no Brasil.

Musca domestica (Mosca doméstica) Crysomya megacephala (Mosca varejeira)
Psychodidae (Mosca dos ralos) Drosophila ssp (Mosca de frutas)

Estes insetos são muito ativos durante o dia e costumam descansar durante a noite. Apresentam atração pela luz UV, assim como por muitos tipos de alimentos.

As moscas que estão no ambiente representam em torno de 20% da população existente na área atacada. Os outros 80% são ovos, larvas e pupas, que estão em fase de desenvolvimento.

MEDIDAS PARA O CONTROLE DE MOSCAS

Caso esteja convivendo com estes insetos dentro de sua residência, existem telas do tipo mosquiteiros que ajudam a manter as moscas afastadas. No caso de grandes infestações ou dificuldade em resolver o problema, consulte uma Empresa Especializada.

Traças

Traças

(Traça de roupas) (Traça de livros)

São insetos que causam danos a roupas, papéis, livros, estofados e grãos, considerados como “traças”. São espécies distintas que podem ser diferenciadas de acordo com o local de infestação e com identificação.

Traças dos livros ou traças prateadas são insetos da Ordem Thysanura; traças das roupas e traças de produtos armazenados são da Ordem Lepidoptera. As traças de livros estão espalhadas por todo o mundo e existem cerca de 370 espécies. Não apresentam asas, são de tamanho pequeno a médio (0,85 a 1,3 cm), corpo alongado e achatado, com duas longas antenas e três filamentos caudais. Consomem diversos produtos que encontram dentro das casas, como farinhas, papéis e tecidos.

De hábito noturno, vivem preferencialmente em ambientes escuros e úmidos. São muito ágeis e escondem-se rapidamente em frestas de móveis, armários, rodapés e caixas, sendo este último o principal veículo de dispersão da praga, levada junto a livros e utensílios domésticos em mudanças.

Os adultos chegam a viver por mais de quatro anos. Os ovos eclodem em aproximadamente 10 a 60 dias, demorando em média 2 a 3 meses até chegarem à fase adulta.

As traças das roupas (Ordem Lepidoptera) são pequenas mariposas. Nas principais espécies encontradas em ambiente urbano, após saírem de seus ovos, as lagartas constroem um pequeno estojo achatado para sua proteção. Dentro desta proteção, a lagarta se desenvolve se alimentando principalmente de tecidos, roupas de lã, estofamentos, entre outros, sendo atraídas por peças sujas.

Geralmente são encontradas em paredes ou armários residenciais. Depois de sua fase de crescimento, a lagarta constrói um casulo, de onde surgirá a mariposa. O adulto não se alimenta mais de tecidos.

Caruncho

Caruncho

Os carunchos são besouros que atacam os produtos armazenados como feijão, arroz, trigo, milho, farinhas e farelos, chás e outros produtos desidratados. Infestam também produtos industrializados como massas, rações de animais e biscoitos. A ação desses insetos nos produtos armazenados influencia diretamente na sua qualidade e quantidade, reduzindo o consumo e o valor comercial. Ao infestarem produtos armazenados encontram o ambiente propício para proliferação (abrigo, temperatura e umidade). Possuem elevado potencial reprodutivo e alta capacidade adaptativa. Os carunchos são divididos em dois grupos:

Pragas primárias:

O adulto rompe a película protetora do grão e deposita um ovo no interior do mesmo. A larva eclode e se alimenta no interior do grão e só o deixam quando atingem a fase adulta.

Pragas secundárias:

Alimentam-se da parte externa do grão ou, quando danificados, pelas pragas primárias. Infestam farelos, farinhas e rações. A fêmea deposita seus ovos externamente ao substrato, as larvas eclodem desenvolvendo-se livremente ou internamente no grão.

Escorpião

Escorpião

Escorpião amarelo Escorpião preto

Pertencem à classe Arachnida. São predadores de aranha e outros insetos, principalmente baratas. Possuem atividade noturna e vivem habitualmente em terras áridas e rochosas, exigindo locais úmidos para se abrigarem. Têm a capacidade de suprir sua necessidade de água, retirando umidade do ar respirado.

No Brasil as espécies mais importantes em Saúde Pública pertencem ao gênero Tityus, destacando-se as espécies Tityus serrulatus (escorpião amarelo) e Tityus bahiensis (escorpião preto).

Biologia

O escorpião carrega o veneno em duas glândulas localizadas em um segmento extra de sua cauda anterior ao ferrão, órgão responsável por perfurar e inocular o veneno na vítima.

Comumente encontramos escorpiões sob pedras e entulhos, dormentes de ferrovias, em bromélias localizadas em árvores ou no solo, em porões de residências, cemitérios (devido à presença de baratas), sob assoalhos de madeira e próximo a córregos.

Métodos de prevenção

  • - Não colocar a mão em buracos no solo, fendas de árvores e sob ninhos de cupim de montículo.
  • - Proporcionar uma adequada conservação dos jardins, não acumulando madeiras, telhas e outros materiais.
  • - Manter sempre um controle de baratas, eliminando abrigo e alimento.
  • - Não acumular materiais e restos de construção.
  • - Sacudir roupas e sapatos antes de usá-los.
  • - Utilizar ralos protetores.
                   
Dicas para evitar pragas urbanas em seu ambiente
     
  •  Deixe seus lixos de preferência dentro de tambores com tampa.
  •  Evite deixar água parada ao redor de sua casa ou empresa.
  •  Colocar tampa em ralos não sinfonados.
  •  Evite deixar restos de comida em cima da mesa.
  •  Colocar borrachas de vedação em volta das portas.
  •  Mantenha seu animal de estimação limpo.